O resultado concreto das privatizações: serviços mais caros e ruins

O resultado concreto das privatizações: serviços mais caros e ruins

Os gaúchos e os baianos, só para citar dois exemplos, estão vivendo na pele o resultado das privatizações. Lá na Bahia, onde o governo entreguista de Bolsonaro vendeu uma das maiores refinarias da Petrobrás ao grupo Mubadala (dos Emirados Árabes), a gasolina é 27,4% mais cara que a da Petrobrás, e isso que a da estatal, graças a política de paridade com o dólar adotada por Bolsonaro, está nas nuvens, conforme tem sido denunciado pelos petroleiros.

Aqui no RS, recentemente, os gaúchos puderam testar a qualidade dos serviços e do atendimento da empresa privada que comprou a CEEE, a Equatorial, que deixou quase 100 mil pessoas durante mais de cinco dias sem luz depois de um temporal. Para piorar, a falta de luz também acarreta a falta de água, já que as bombas do DMAE (no caso de Porto Alegre) não funcionam. E quando os usuários ligavam para pedir explicações e expectativa de retorno, a resposta automática era sempre a mesma: sem previsão.

Este são apenas dois exemplos acabados do resultado da privatização e que seguramente irá acontecer também com os serviços de Correios. Os trabalhadores vêm alertando quanto a estas situações e, mesmo assim, os governantes insistem na venda de empresas que são eficientes e lucrativas.

Nenhuma empresa de logística tem a estrutura, a eficiência e a cobertura do Correios. Se a empresa for privatizada, o foco será apenas no lucro, desassistindo os lugares mas distantes e rompendo o compromisso que hoje a empresa tem com a integração nacional. Além disso, deixará milhares de brasileiros sem diversos serviços, já que o Correios é, em muitos municípios brasileiros, o único ente do Estado presente.

Por isso nossa luta contra a privatização tem que ser fortalecida. Não só contra a privatização do Correios, mas de todas as empresas que além de fundamentais para os brasileiros, são também estratégicas para o país, especialmente para a recuperação econômica e social no pós pandemia.

É não às privatizações!

Não à venda do Correios!

Assessoria de Comunicação

15/03/2022 11:16:46

 

Nara Soter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.