Ecetistas gaúchos aprovam proposta da empresa apresentada em mediação do TST

Ecetistas gaúchos aprovam proposta da empresa apresentada em mediação do TST

Em assembleia realizada na quarta-feira (31) em Porto Alegre e em mais cinco regiões do RS, os trabalhadores e trabalhadoras do Correios aprovaram, por ampla maioria, a proposta apresentada pela empresa para mediação do Tribunal Superior do Trabalho (TST). Embora com críticas e com falhas que, para a categoria, poderiam ter sido melhor especificadas, a maioria considerou que a proposta mediada avançou em relação as duas anteriores apresentadas pela empresa e incluiu, ainda, um ponto importante para a categoria, que é o da PLR.

Num primeiro momento, os dirigentes do SINTECT-RS fizeram um relato da situação e das ações do Sindicato e da categoria durante a campanha salarial, cuja mobilização resultou em uma assembleia com importante representatividade, tanto em Porto Alegre, como no interior do Estado. Também fizeram um apanhado das propostas anteriores, com destaque para a tentativa de retirar a entrega matutina, o item envolvendo a penalização dos motoristas pelos acidentes e a liberação dos dirigentes sindicais. Por fim, foi destacado como se deu o processo de mediação, a posição da Fentect, até se chegar à proposta que estava sendo apresentada para ser deliberada na assembleia.

CRÍTICAS À DIREÇÃO DA EMPRESA

Nas falas, tanto dos dirigentes como dos trabalhadores e trabalhadoras, não faltaram críticas à postura da empresa, sempre desrespeitosa com a categoria e tentando prejudicar os ecetistas, bem como a necessidade de varrer do governo e do Correios, os entreguistas que só trabalham para retirar direitos e privatizar a empresa. Também foi denunciada a estratégia da gestão do Correios de sempre apresentar suas propostas nos “45 minutos do segundo tempo”, sem dar tempo hábil para que a elas sejam avaliadas, tendo em vista os sistemáticos “pega ladrão” com que a empresa costuma trabalhar.

Na própria proposta de mediação, foi considerado que faltaram informações no item da PLR, por exemplo, que não está clara se a de 2022 (relativa a 2021) será linear e a de 2022 (a ser paga em 2023) é um verdadeiro “cheque em branco”. Além disso, não aponta quando será feito o pagamento.

Já quanto a liberação sindical, foi destacada a importância deste item, que dá fôlego e possibilita a retomada da participação das entidades em atividades estaduais e nacionais, de forma a organizar, mobilizar e tratar de questões decisivas para a categoria. Em tempos de necessária mobilização relacionadas à privatização do Correios, esta cláusula se reveste, ainda, de mais importância.

Também foi destacado o momento político, de uma eleição geral no país, que precisa da atenção de todos, tendo em vista a afirmação de candidatos, que já se posicionaram pela privatização do Correios, inclusive do atual presidente, que afirmou publicamente que, se reeleito, terá como prioridade a privatização da estatal.

UM COMPROMISSO DOS LUTADORES

Com certeza essa proposta não representa nem um terço das perdas da categoria nesse governo, mas representa o compromisso firmado entre todas as lutadoras e lutadores de nossa categoria que participaram da nossa histórica greve de 2020 que foi de lutar para reaver tudo que nos foi tirado,  barrar a privatização dos CORREIOS e participar de todos os fóruns de luta para derrubar o governo Bolsonaro.

CASA CHEIA

Mas o principal saldo que tiramos dessa campanha é o fato de a categoria ter mostrado seu poder de reação e mobilização novamente, pois tivemos diversas mobilizações em CDDs, na Sertório e depois de mais de dois anos de pandemia, voltamos a ter a casa cheia, numa assembleia linda.

MOÇÕES DE APOIO

Além do debate sobre a campanha salarial, os dirigentes do SINTECT-RS apresentaram duas moções de apoio para serem aprovadas pela categoria e de uma ação de solidariedade.

As moções, que foram ambas aprovadas, dizem respeito ao Quilombo dos Alpes, ameaçado de invasão e que está precisando do apoio de todos, e em defesa da Pretinha e da Branquinha, as duas cachorrinhas que vivem no pátio do Complexo da Sertório e que vem sofrendo ameaças da Superintendência Estadual do Correios, empenhada em retirar os animais do local onde vivem há mais de dez anos.

SOLIDARIEDADE DE CLASSE.

Também foi feito um apelo de solidariedade ao um colega de Canoas que trabalha no CDD São Leopoldo, para reconstrução de parte do telhado de sua casa, destruído pelo temporal do dia 15 de agosto, em Canoas. A arrecadação feita na própria assembleia, garantiu quase 100% do valor necessário para o conserto. No total, foram arrecadados R$ 693,00 que já foram repassados ao colega. Ele tem família com dois casais de gêmeos de 5 e 6 anos e agradeceu muito a solidariedade da categoria.

SEGUIMOS NA LUTA

A proposta foi aceita, mas os trabalhadores deixaram claro que a luta segue até a reconquistas de todos os direitos roubados em 2020 e, principalmente, contra a privatização do Correios.

Confira AQUI a proposta da empresa apresentada ao TST.

Veja AQUI o resultado das assembleias por sindicato.

CONFIRA A GALERIA DE FOTOS

Assessoria de Comunicação

01/09/2022 13:23:52

Nara Soter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.