Em ato em frente ao prédio Sede, trabalhadores marcam posição contra a aprovação do PL 591

Em ato em frente ao prédio Sede, trabalhadores marcam posição contra a aprovação do PL 591

Em ato realizado na segunda-feira, dia 8, os/as trabalhadores/as de Correios reforçaram sua posição contrária ao PL 591, que está na pauta para ser votado na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), na terça-feira, dia 9.

A atividade aconteceu em frente ao prédio Sede, no centro da Capital e reuniu, além da categoria, representantes de outras categorias e entidades. A atividade foi para demarcar, mais uma vez, a posição dos trabalhadores em relação ao PL e pressionar os senadores a votarem contra a proposta.

Em praticamente todas as falas foi denunciado o crime que representa a privatização do Correios e os prejuízos que advirão para a população se o PL 591 foi aprovado. Foi lembrado que é preciso combater a privatização em todos os níveis, desde a Carris, em Porto Alegre, pelo prefeito Melo, passando pela Corsan e Banrisul, pelo governador Leite e chegando as estatais federais, como Correios, entre outras.

Durante o ato foi distribuída uma carta aberta à população, denunciando a privatização da empresa, pedindo solidariedade na luta contra a venda do Correios e que todos entrassem em contato com os Senadores gaúchos para que votem contra a privatização da estatal.

Um dos trabalhadores lembrou que muitos não podiam estar no ato, porque perderam sua vida trabalhando na pandemia, quando então o serviço de Correios foi definido como essencial pelo mesmo governo que agora desdenha da empresa, trata ela como um problema e diz que daqui a três anos não estará valendo nada.

Por fim, foi solicitada a categoria toda a atenção para a votação do PL na CAE do Senado na terça (9) e reforçado que, apesar do parecer favorável do relator, nada ainda está decidido e este será somente mais um passo. Ainda há um caminho pela frente até à votação final da proposta e, portanto, a mobilização da categoria continua sendo fundamental.

Nesta terça, todos/as devem atuar nas redes sociais dos senadores, mandando mensagens, compartilhando posts, e pedir para seus amigos e familiares fazerem o mesmo, deixando claro aos senadores que a sociedade não quer e não aceitará a venda do Correios.

Não à venda do Correios!

Não ao PL 591!

Bolsonaro sai, o Correios fica!

Assessoria de Comunicação

09/11/2021 10:18:37

Nara Soter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.