TODOS(AS) EM GREVE! MOTIVOS NÃO FALTAM!

Os trabalhadores dos Correios do RS iniciam, a partir da zero hora do dia 12 de março, uma greve geral da categoria por tempo indeterminado em todo o País. Motivos não faltam para que este seja um movimento forte e que conte com a adesão de todos os trabalhadores e trabalhadoras. (Veja aqui o informativo do Sindicato sobre a greve). 

A mobilização nacional da categoria foi aprovada na assembleia geral realizada na sede do Sintect-RS e nas subsedes no dia 1º de março último. O movimento é contra as alterações no Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS); a terceirização na área de tratamento; a privatização da estatal; suspensão das férias dos trabalhadores, como em 2017; extinção do diferencial de mercado; descumprimento da cláusula 28 do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), que trata da assistência médica da categoria, e contra a redução do salário da área administrativa. Além disso, entre as demandas dos ecetistas estão a contratação de novos funcionários via concurso público, a segurança nos Correios e o fim dos planos de demissão.

Um dos principais ataques da ECT é voltado ao plano de saúde da categoria, que recebe, em média, R$ 1.600,00 (o pior salário entre empresas públicas e estatais) e, agora, no que depender da direção dos Correios, ainda terá que arcar com mensalidades no plano e a retirada de dependentes. Além disso, o benefício poderá ser reajustado conforme a idade, chegando a mensalidades acima de R$ 900,00. O julgamento do plano de saúde está marcado para esta segunda-feira, dia 12 de março, no Tribunal Superior do Trabalho (TST). 

Extinção do OTT

A empresa também iniciou 2018 extinguindo o cargo de Operador de Triagem e Transbordo (OTT), importante para o movimento do fluxo postal interno, visando a terceirização nos Correios. Já anunciou a redução da carga horária e os salários dos trabalhadores administrativos, como reflexo da reforma trabalhista. Para piorar a situação, a empresa também anunciou o fechamento de mais de 2500 agências próprias, por todo o Brasil.

Luta conjunta
Todo o desmonte promovido pela gestão dos Correios tende a prejudicar ainda mais os serviços à população e para justificar o desmonte que vem promovendo na empresa, usa de inverdades junto à sociedade em relação a situação da estatal.

Os trabalhadores concordam com muitas reivindicações da população e reafirma que os preços que vem sendo cobrados a mais pelos serviços, como no RJ, não são destinados a segurança e não há nenhum benefício pago ao trabalhador por esse motivo, bem como nenhum adicional.

Patrimônio público
Os Correios são patrimônio nacional, garantem um direito constitucional à comunicação com segurança e alcançam os locais mais distantes do país. Além disso, não onera o governo federal ou o bolso do cidadão com arrecadação de impostos, já que, ao contrário, é o governo quem tem retirado verbas da empresa, sem retorno, nos últimos anos, como da ordem de R$ 6 bilhões.

Com todos os erros e ingerências políticas na administração dos Correios, a direção da estatal promove essas e outras retiradas de direitos dos próprios trabalhadores, responsabilizando-os pelos danos da ECT. A construção dos benefícios assegurados aos trabalhadores se deu por meio de negociações coletivas e aos ecetistas foram concedidos em contrapartida aos baixos salários, sem reajustes consideráveis há anos. Portanto, a greve, instrumento legítimo garantido a diversas categorias, é pelos trabalhadores dos Correios e toda a sociedade, e visa a melhoria, modernização e a empresa 100% pública, de qualidade para todos.

Frente a todos estes ataques o SINTECT-RS convoca os trabalhadores a participarem desta greve que tem como entre os principais pontos, a defesa do nosso plano de saúde.

AGENDA DA GREVE

2ª FEIRA- 12.03.2018

– 8h – concentração em frente aos locais de trabalho.

– 10h – concentração no prédio Sede, no centro em Porto Alegre.

– 15h- Assembleia na sede do Sindicato.

Assessoria de Comunicação

11/03/2018 23:47:13

X

Pin It on Pinterest

X
Share This