PLR: O que falta para você se indignar com o que a empresa vem fazendo?

PLR: O que falta para você se indignar com o que a empresa vem fazendo?

Na terça-feira (02) ocorreu mais uma reunião da Comissão Paritária para tratar da negociação da PLR-2022. Encontro, este, que estava agendado para o dia 29 de julho, mas foi transferido a pedido da empresa. Como vem fazendo desde o início, a gestão bolsonarista no Correios insiste em não prestar as informações solicitadas pela representação dos trabalhadores.

Os trabalhadores e as trabalhadoras não concordam com os critérios colocados, um sistema de metas que não contempla os ecetistas, uma vez que os Correios não oferece estrutura e nem suporte para que essas metas sejam cumpridas, tanto no âmbito individual, quanto no âmbito corporativo.

Quanto a PLR 2021, também foi cobrada a negociação, já que a empresa apresentou lucro de 3,7 bilhões de reais ano passado, mas os gestores se limitaram a responder que ainda não obtiveram retorno do SEST, argumento no qual vêm se apegando desde o início para não pagar o que é um direito dos trabalhadores e trabalhadoras. O fato é que a empresa também não envidou esforços junto a Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (SEST) para que remetesse à ECT o parecer da PLR 2021.

Frente ao descaso com que a gestão da ECT vem tratando a negociação da PLR, a orientação é de que a categoria rejeite a proposta da direção da empresa nas assembleias que ocorrerão dia 9 de agosto. O momento é de participação e unidade para, assim, evitar mais este calote da gestão dos Correios na tentativa de retirar mais este direito dos trabalhadores e trabalhadoras.

PARECER DO DIEESE

A Fentect, que está negociando o pagamento da PLR com a Empresa, solicitou ao DIEESE um parecer técnico da proposta da empresa. No seu parecer, a entidade defende, para 2022 (referente ao lucro de 2021), uma PLR linear, conforme vêm pleiteando os ecetistas. De acordo com o estudo, “o Correios não publicou internamente (oficialmente) aos trabalhadores, no início do exercício de 2021, quais seriam os parâmetros utilizados como regra de cálculo individual e nem quais os requisitos para a distribuição (atingimento de metas individuais). Como não houve divulgação prévia das regras aos trabalhadores, não pode, o Correios, no momento da distribuição, querer arbitrariamente definir quais os parâmetros para a distribuição individual e nem eventuais cortes individuais de trabalhadores sobre o direito da PLR. Portanto, mais um ponto para ressaltar o critério de distribuição linear de valores por trabalhador, sem cortes, caso exista metas individuais não atingidas pelos mesmos”.

O DIEESE faz, ainda, um comparativo entre a proposta dos Correios e de outras empresas como Petrobrás, Caixa e Banco do Brasil.

A próxima reunião para tratar da PLR está agendada para o dia 18 de agosto, às 14h30.

Confira AQUI o estudo na íntegra.

Não ao Calote!

Por uma PLR justa, linear e igual para todos e todas!

Não à privatização dos Correios!

Assessoria de Comunicação

03/08/2022 17:28:15

Nara Soter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.