Assembleia rejeita proposta com critérios para PLR e aprova fortalecimento da luta

Assembleia rejeita proposta com critérios para PLR e aprova fortalecimento da luta

Durante a assembleia realizada na terça-feira (9), os trabalhadores do Correios no RS rejeitaram a proposta com os critérios de PLR apresentada pela empresa, aprovaram o fortalecimento da luta em defesa da PLR e da campanha salarial e referendaram as ações contra a privatização do Correios. A assembleia teve ainda na pauta a campanha salarial, com informes da Fentect e, na parte dos informes, os movimentos em defesa da Branquinha e da Pretinha, as cachorrinhas que há mais de dez anos vivem no complexo da Sertório.

O primeiro ponto tratado foi a PLR. Os dirigentes apresentaram a proposta de critérios da PLR feita pela empresa na última reunião da Comissão Paritária, ocorrida dia 2 de agosto e fizeram um relato do parecer do DIEESE sobre a proposta. A categoria reiterou que a PLR deve ser justa, linear e igual para todos, criticaram a postura da empresa de não passar à representação dos trabalhadores as informações solicitadas e reiteraram que não concordam com os critérios colocados pela empresa. A avaliação é de que a proposta traz um sistema de metas que não contempla os ecetistas, já que o Correios não oferece estrutura para que as metas sejam cumpridas, nem no âmbito individual, nem no corporativa. A empresa, segundo os trabalhadores, age como uma empresa privada, investe em tecnologia em alguns setores e deixa outros jogados à própria sorte, criando condições desigual para atingimento das metas.

Também foi cobrada a negociação da PLR 2021 (exercício de 2020), quando a empresa divulgou lucros da ordem de 3,7 bilhões de reais.

PARECER DO DIEESE

Sobre o parecer do DIEESE (Confira AQUI ), a instituição reafirma que a PLR deve ser linear, conforme pleiteia a categoria. Diz, ainda, que “como não houve divulgação prévia das regras aos trabalhadores, não pode, o Correios, no momento da distribuição, querer arbitrariamente definir quais os parâmetros para a distribuição individual e nem eventuais cortes individuais de trabalhadores sobre o direito da PLR. Portanto, mais um ponto para ressaltar o critério de distribuição linear de valores por trabalhador, sem cortes, caso exista metas individuais não atingidas pelos mesmos”. Foi informado, ainda, que a próxima reunião para tratar da PLR está agendada para o dia 18 de agosto, às 14h30.

Ainda sobre a PLR a deliberação foi de fortalecer a luta por uma PLR justa e linear para todos e todas.

CAMPANHA SALARIAL

Nos informes sobre a campanha salarial foi criticada a postura da empresa de ameaças e de querer prejudicar os trabalhadores alegando que o dissídio não está mais em vigência. As propostas apresentadas pela empresa são um verdadeiro desrespeito com a categoria, como o chamado a trabalhar no sábado somente com vale-transporte e a cláusula dos acidentes de trânsito (hoje no RS existem cerca de 600 processos), com mais prejuízos para os trabalhadores.

Além disso, a proposta de reposição salarial apresentada pela empresa está abaixo da inflação, e não apresenta nenhum avanço em relação à sentença normativa do ano passado. Ao contrário disso, a empresa tenta rebaixar ainda mais o Acordo, retirando mais direitos dos trabalhadores e trabalhadoras, como no caso do plano de saúde de ativos e aposentados, quer aumentar a coparticipação dos Vales alimentação e Refeição, além de não devolver direitos históricos da categoria que foram suprimidos em 2020. Numa atitude de total desrespeito, na reunião do dia 29 de julho deu por encerrado o processo de negociação e ameaçou com o encerramento da validade da sentença normativa em 31 de julho e a possibilidade de suspensão das garantias da sentença.

GESTÃO “EXIGE” A GREVE

Frente a postura da empresa, em suas falas, os trabalhadores defenderam a construção de uma greve forte e unitária em nível nacional como única resposta possível a esta gestão inimiga dos trabalhadores. O indicativo da Fentect é de realização de assembleias até 31 de agosto, com início da greve por tempo indeterminado a partir de 1º de setembro.

SÓ PODE SER PIADA

Outro ponto dos informes foi a questão das cachorrinhas Branquinha e Pretinha que vivem há mais de dez anos no complexo da Sertório. Parece piada da gestão, mas não é. Com todos os problemas que existem dentro do Correios, o Superintendente parece que transformou num ponto de honra retirar os animais do local.

Já houve sentença judicial mantendo os animais no local, movimentos dos trabalhadores e da comunidade em defesa delas, mas a superintendência recorreu a instância superior e o processo foi retomado.

Depois de feito um relato da situação, foi feito um convite a todos e todas que somem nas ações que estão sendo organizadas em defesa dos animais e que vem sendo chamados por ONGs, como a “Cãominhada” que será realizada dia 20/08 (sábado), no Parque da Redenção e do abaixo-assinado para retirada do processo e o apoio do SINTECT-RS as ações em defesa dos animais. O Superintendente que saia. Pretinha e Branquinha ficam!

Ainda durante a assembleia, foram feitas homenagens aos colegas Silmar Antunes e Jeniffer Albertina, que nos deixaram em agosto.

Silmar, Presente!

Jeniffer, Presente!

Assessoria de Comunicação

Nara Soter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.