SINTECT-RS presente na plenária dos trabalhadores de estatais

Entre as principais definições do encontro, está a realização de um plebiscito popular sobre privatizações

Representantes do SINTECT-RS e trabalhadores e Correios participaram na segunda-feira (31), da plenária estadual da Frente em Defesa das Estatais. Mais de 180 pessoas, entre trabalhadores de Correios e de outras empresas ameaçadas de privatização, participaram do encontro, realizado de forma virtual, pela plataforma Zoom.

O encontro contou com a participação do economista Ricardo Franzói, supervisor técnico do Dieese no Rio Grande do Sul, que destacou os lucros de mais de R$ 21 bilhões em 2020, considerando o balanço do Correios, Eletrobras e Caixa.

Depois de intensos debates, entre as principais definições está a criação de um comitê para organizar a realização de um plebiscito popular sobre as privatizações e, manter a luta contra a venda da Corsan, Banrisul e Procergs, que teve aprovada a PEC que retira a necessidade de plebiscito para que estas empresas sejam vendidas.  

Além destas, foi aprovada a construção de um dia de luta contra as privatizações e em defesa das empresas e dos serviços públicos e dos servidores, cuja data será definida pelas centrais sindicais para ampliar a mobilização da sociedade, com a participação dos movimentos sociais.

Manifesto

Outra definição foi a elaboração de um manifesto unificado contra as privatizações e distribuição de material à população, mostrando que a privatização faz mal, precariza os serviços e aumenta as tarifas. A privatização do setor elétrico foi um exemplo citado. O setor foi parcialmente privatizado nos anos 90, mas não ofereceu melhores serviços, as tarifas subiram e a população ficou exposta a apagões, como os que aconteceram no Amapá em 2020.

Os representantes do Correios no encontro, falaram sobre a situação da empresa, da categoria e destacaram a necessidade de unidade em torno da luta contra as privatizações. Dirigentes de sindicatos e federações, que representam funcionários de outras estatais ameaçadas de privatização, tanto federais, como estaduais e municipais, fizeram relatos sobre as empresas, como bancos públicos (Banrisul, BB e Caixa), Corsan, Petrobrás, Procergs, Trensurb e CEEE.

Assessoria de Comunicação

01/06/2021 21:59:45

Pin It on Pinterest