CDD Santa Cecília retornou ao trabalho

Após 10 dias de quarentena e 4 dias de greve ambiental, nesta segunda (05), os trabalhadores e trabalhadoras do CDD Santa Cecília retornaram ao trabalho.

A quarentena é fruto da ação judicial encaminhada pelo Sindicato, mas que foi vitoriosa a partir da paralisação dos trabalhadores e trabalhadoras. A decisão de pressionar a Empresa e de não entrar no CDD que havia virado foco de contaminação pela COVID-19 foi o determinante para o êxito.

Foram 4 dias de resistência ao desrespeito da ECT com a vida. Mesmo após o gestor positivar para a COVID, na sequência o Supervisor e, outros 9 trabalhadores (sendo 1 terceirizada), a ECT “dava de ombros”, demonstrando toda a sua insensibilidade e descaso com a vida. E isso (pasmem!) mesmo depois do conhecimento da causa do o óbito da colega Mara Jardim, por complicações da COVID-19. 

No dia 25/03 saiu a decisão da liminar que obrigou (decisões abaixo) a ECT a sanitizar o CDD com a supervisão do Sindicato. No dia 31/03 foi realizada a sanitização. O Sindicato, com todos os protocolos de cuidados, acompanhou e fiscalizou o procedimento.

Mobilização

A mobilização iniciou no dia 22 de março, quando, em assembleia, os trabalhadores da unidade, acompanhados pelo Sindicato, votaram por uma paralisação ambiental. Por orientação do Sindicato a maioria dos trabalhadores já havia, no dia 08/03, se afastado por cinco dias. Na época, já havia quatro trabalhadores positivados. Percebam que mesmo com essa primeira parada, o vírus não deixou de circular no ambiente do CDD. Ainda existe um colega no hospital que torcemos para que vença esse vírus. 

Decisões da liminar:

  • Afastamento dos empregados que trabalham presencialmente no CDD Santa Cecília, determinada a prestação de trabalho remoto por todos os empregados e a manutenção das atividades presenciais para atendimentos de urgência, a serem definidos pela empresa, somente pelos investidos em cargos de chefia, e, em regime de revezamento, no período de 26/03/2021 a 05/04/2021, sem prejuízo da remuneração;
  • No período acima referido, a ECT deverá adequar as condições de trabalho para receber os empregados, realizando a desinfecção do local, quando deverá ser autorizada a presença de representantes do Sindicato para acompanhar a realização dos serviços;
  • A ECT deverá, para o retorno das atividades presenciais, em 05/04/2021, disponibilizar medidores de temperatura corporal para que seja utilizado nos funcionários, terceirizados e estagiários que adentrarem no pavilhão, para fins de acesso ao local de trabalho;
  • Deverá a empresa realizar os exames de testagem nos empregados com sintomas compatíveis com suspeita de contágio por Coranavírus, às suas expensas, inclusive quando do retorno de eventual afastamento por suspeita de contágio, e, mesmo após eventual período de tratamento.
Diretores do SINTECT-RS acompanharam a sanitização

O SINTECT/RS acompanhou o retorno dos trabalhadores no dia 5 e continuará na sua luta para garantir a proteção e a vacina aos trabalhadores de Correios. Qualquer situação relacionada a pandemia deve ser imediatamente relatada ao Sindicato.

Assessoria de Comunicação

05/04/2021 15:07:07

Confira o VÍDEO com a avaliação do Sindicato

GALERIA DE FOTOS:

Pin It on Pinterest