Comunidade LGTBQIA+ dá resposta à LGTBfobia nas urnas

A comunidade LGTBQIA+ conseguiu, na eleição deste ano, um aumento de 200% na sua representação na política em relação a 2016. O crescimento foi uma resposta a LGTBfobia que cresce assustadoramente desde a eleição de Bolsonaro.

No total, foram eleitos 25 transexuais como vereadores em 18 cidades diferente, inclusive 3 no Rio Grande do Sul (Maria Regina/PT/Rio Grande; Lins Roballo/PT/São Borja; e Yasmin Prestes/MDB/Entre-Ijuis). Em 2016 foram eleitos 8 que se identificaram como deste grupo. O número de candidatos identificados como integrantes do grupo LGTBQIA+ foi de 294 candidatos.

De fato, em 2019, um relatório divulgado pelo Grupo Gay da Bahia informa que 329 LGBTQIA+ tiveram morte violenta no Brasil, vítimas da homotransfobia. Foram 297 homicídios e 32 suicídios. Isso equivale a 1 morte a cada 26 horas.

A sigla LGTBQIA+

Cada letra da sigla LGBTQIA+ agrega um grupo de pessoas que se reconhece por uma orientação sexual ou uma identidade de gênero diversa daquelas que a sociedade convencionou como únicas .

Desvendando a sigla

L, G, B – O “L” diz respeito às lésbicas e o “G”, a gays, mulheres e homens, respectivamente, que sentem atração afetivo-sexual por pessoas do mesmo gênero que o seu; o “B” representa as pessoas bissexuais, que sentem atração afetivo-sexual por homens e mulheres.

T – No “T” estão incluídos transgêneros, transexuais e travestis: pessoas que se identificam com um gênero diferente do que foi designado no nascimento.

Q – A letra “Q” é de “queer”, quem transita entre os gêneros feminino e masculino. A teoria “queer” afirma que a orientação sexual e a identidade de gênero são resultado de uma construção social, e não de uma funcionalidade biológica.

I – O “I” diz respeito ao intersexo (identidade de gênero de pessoas cujo desenvolvimento sexual corporal, seja por hormônios, genitais, cromossomos ou outras características biológicas) não se encaixa na forma binária masculino-feminino.

A – O “A” se refere aos assexuais, aqueles que não sentem atração afetivo-sexual por outra pessoa, independente de orientação sexual e de identidade de gênero.

+ – O sinal “+”, que há uns anos foi incorporado à sigla, abriga outras possibilidades de orientação sexual e identidade de gênero que existam.

Assessoria de Comunicação

18/11/2020 22:14:10

Pin It on Pinterest