Proteção aos trabalhadores: Só resolve mobilizando 

A audiência da sexta-feira (17) com o Tribunal Regional do Trabalho (TRT-4), teve um resultado parecido com as demais. Houve avanços nas audiências é verdade, mas não o suficiente para quem está no trabalho ou em trabalho remoto. 

Para quem está nos locais de trabalho o negócio está pesado. A ECT quer abarcar todo o trabalho que era feito com efetivo completo, assumiu novos contratos e períodos menores para a entrega do SEDEX. O decreto de estado de calamidade pública lhe possibilita postergar tal serviço. 

A intenção da ECT nas audiências é não assumir compromissos. Utiliza-se do decreto do Bolsonaro de serviço essencial e da falta de autonomia do Superintendente Estadual. As audiências têm carácter de conciliação, dependem de consenso. É desvantajoso negociar sem a categoria estar mobilizada. 

A audiência discutiu que o assunto das auto declarações fica suspenso, aguardando desdobramentos da liminar da FENTECT. A liminar, hoje, assegura o direito de manter-se em casa. As convocações ficaram para as quartas-feiras (antes eram 48 horas de antecedência).

Sobre o trabalho aos sábados ficou acertado que um sábado será convite (o próximo) e os próximos dois será convocação. A ECT não abriu mão da convocação do feriado do dia 21/04. Já o feriado do 01/05 ficou para ser debatido na próxima audiência dia 27/04.

Será acertado um cronograma de chegada dos EPIs (álcool em gel, máscaras nas unidades, divisores acrílicos) e a situação de luvas para quem lida com dinheiro será novamente debatido.

A ECT encaminhou ofício de pedido das vacinas (H1N1) às Secretarias de Saúde.

Reconhecemos as dificuldades trazidas pela pandemia para a mobilização e ações contundentes da categoria. Mas os ataques não param (MP 937 e MP 905, ambas flexibilizam direitos dos trabalhadores). Já a ECT não tira o pé do acelerador. É pressão diária, alocações, aglomerações, risco de contaminação. Urge a necessidade de debatermos, entre nós, uma greve ambiental. Direito fundamental à proteção da vida e saúde dos trabalhadores.

Assessoria de Comunicação

18/04/2020 15:58:32

 

Pin It on Pinterest