Trabalhadores exigem da empresa responsabilidade em relação a pandemia da Covid-19

É um absurdo a forma como a empresa vem tratando a situação do coronavírus e a exposição dos trabalhadores de Correios. No dia 13 de março, a FENTECT enviou ofício à empresa, solicitando medidas protetivas aos trabalhadores e disponibilização de materiais como luvas, máscaras e álcool-gel.

Mas, nem mesmo diante da decretação de pandemia e do agravamento exponencial da doença, a gestão da ECT demonstra qualquer preocupação com os trabalhadores. A resposta se limita a reproduzir os cuidados que todos já conhecem, como lavas ar mãos, não tocar bocas e olhos, se sentir sintomas, procurar o médico, e outras orientações gerais dadas pelos setores da saúde.

Independente do quão importantes sejam estas medidas e que devem indiscutivelmente serem seguidas por todos, além disso, os gestores não acrescentaram uma vírgula no sentido de garantir mais segurança para os trabalhadores de Correios, cujas funções que lidam com o público, os colocam na linha de frente de possível contágio.

Diante da postura negligente da empresa, cuja resposta é só “para inglês ver”, a Federação deve entrar com as medidas cabíveis em outros órgãos para garantir a segurança e saúde de todos trabalhadores, como medida judicial emergencial para garantir que a ECT distribua materiais de prevenção (máscara, luvas e álcool em gel) para todos os trabalhadores como forma de evitar o contágio pela COVID-19.

SINTECT-RS já havia tratado esta questão

O SINTECT-RS, mal surgiram os primeiros casos, ainda em janeiro, enviou ofício à empresa no RS, questionando que medidas seriam tomadas referente ao surto de coronavírus, à época, ainda considerado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como de “alto risco global” e não uma pandemia. No documento o Sindicato pedia providências da empresa para proteção dos trabalhadores.

Assessoria de Comunicação

15/03/2020 19:01:12

 

 

Pin It on Pinterest