8 de Março é DIA INTERNACIONAL DE LUTA DAS MULHERES

O dia 8 de Março é DIA INTERNACIONAL DE LUTA DAS MULHERES, tendo origem nos levantes de trabalhadoras, que defenderam com luta e mobilização suas vidas e seus direitos em períodos decisivos da história.
Enfrentamos um momento de retrocesso violentos e retirada de direitos. Em todo o mundo, a violência contra as mulheres cresce de forma alarmante. Segundo a ONU, uma em cada três mulheres foram ou serão vítimas de violência machista. No Brasil uma mulher é agredida a cada 4 minutos.  O último ano foi marcado por um crescimento escandaloso do número de homicídios em conflitos no campo, assassinato de indígenas, de participantes de movimentos sociais e de jovens negros e negras em ações policiais, como no caso da menina Agatha, de apenas 8 anos. Além de que, triplicou em janeiro de 2020 o número de Feminicídios, em relação ao mesmo mês do ano anterior. TRÊS VEZES MAIS MULHERES MORTAS por seus ex ou atuais namorados, companheiros ou maridos! Apesar disso, Bolsonaro e sua ministra Damares Alves ZERARAM o orçamento para a rede de atendimento às mulheres vítimas de violência. A criminalização do aborto, que condena milhares de mulheres todos os anos a sequelas e a mortes, também é violência.
Nós, mulheres, já somos as que têm os menores salários e estamos nos trabalhos mais insalubres, gerenciamos sozinhas, na maior parte das vezes por falta de opção, mais da metade das famílias do país, cumprimos duplas e triplas jornadas, sofremos violência obstétrica, violência doméstica, assédio e temos medo de andar nas ruas. Morremos aos milhares, vítimas de abortos ilegais e sem acesso a atendimento médico.

Nos Correios, embora tenhamos mulheres na totalidade dos locais de trabalho, no setor operacional estas tiveram mais dificuldade de acesso, pois os concursos públicos não previam contratação das mesmas. Mesmo com a inserção delas, a ECT ainda hoje não tem adequações necessárias para receber o púbico feminino, o que só acentua a falta de proteção a integridade física e mental das mulheres. Some-se o empobrecimento do plano de saúde, que afeta diretamente a saúde das trabalhadoras, as convocações constantes e despropositadas para além da jornada de trabalho, que prejudicam a rotina familiar das mães.

Assédio e machismo estão presentes no cotidiano das ecetistas, e não há políticas de enfrentamento por parte da empresa, prejudicando as trabalhadoras e minando sua saúde mental.

Nesta situação precária e de aprofundamento da desigualdade social, somos nós, MULHERES, as mais atingidas, e novamente a história pede que estejamos à frente das lutas.
Tentam nos desanimar, convencer que estamos sozinhas e de que não podemos fazer nada para mudar essa realidade. Muitas vezes nos sentimos impotentes. mas isso é mentira! A força das mulheres unidas e organizadas já mudou a história diversas vezes. Esse é o momento da nossa geração. Nossa resposta deve ser coletiva e proporcional aos ataques realizados! É preciso construir a Luta Internacional de Mulheres! É fundamental tomarmos as ruas no mês de março!
VEM COM A GENTE PRA RUA
NESTE 9 DE MARÇO!

Pin It on Pinterest