SINTECT-RS questiona ECT sobre prevenção ao coronavírus

O SINTECT-RS enviou ofício à empresa (veja aqui) questionando que medidas a ECT está tomando referente ao surto de coronavírus, que iniciou na China e na segunda-feira (27) foi declarado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como de “alto risco global”. Na China, onde iniciou o surto, em dezembro, já foram registrados mais de três mil casos. Mas outros já foram identificados em mais de quatro continentes. A doença já matou 81 pessoas e chegou a 13 países.

A classificação em alto risco global é uma avaliação global dos riscos, cobrindo a gravidade, a disseminação e a capacidade de lidar com eles.

No documento o Sindicato pede providências da empresa para proteção dos trabalhadores que manuseiam correspondências, especialmente as oriundas de regiões onde a doença está disseminada, até que sejam oficializadas informações sobre as reais formas de transmissão.

O que é o novo coronavírus?

Nomeado oficialmente de 2019-nCoV, o novo coronavírus causa infecção respiratória aguda. Os sintomas começam com uma febre, seguida de tosse seca e, depois de uma semana, falta de ar. Ainda não há cura, nem vacina.

Em humanos, o período de incubação (no qual a pessoa tem a doença, mas nenhum sintoma) varia entre um e 14 dias, segundo as autoridades. Sem os sintomas, a pessoa pode não saber que tem a infecção, mas já espalhar a doença.

De acordo com a OMS, até o dia 20 de janeiro havia 2.780 casos confirmados por exames de laboratório em todo o mundo, dos quais 2.744 pacientes foram diagnosticados na China — 461 foram considerados graves e 80 morreram.

Fora da China, já foram informados 37 casos relatados em 12 países. Acredita-se que o vírus surgiu em animais, mas nenhuma causa foi oficialmente identificada.

O coronavírus ataca o sistema respiratório. Ele pertence à família dos coronavírus, um grupo que reúne desde agentes infecciosos que provocam sintomas de resfriado até outros com manifestações mais graves, como os causadores da Sars (sigla em inglês para Síndrome Respiratória Aguda Grave) e da Mers (Síndrome Respiratória do Oriente Médio).

O que o novo coronavírus faz e quais seus sintomas?

Pesquisadores e autoridades de saúde estão mobilizados em entender melhor o comportamento desse agente infeccioso e evitar sua disseminação geral. Especialistas alertam que o vírus ainda se encontra em processo de mutação e o organismo humano não tem mecanismos de defesa para combatê-lo adequadamente. Na ausência de uma vacina ou de um tratamento específico, o melhor conselho é evitá-lo.

Como se proteger?

A primeira medida de prevenção é evitar viajar a Wuhan, na China, e região, bem como a cidades que possam vir a alojar surtos. Outras iniciativas também são importantes, como:

  • Evite aglomerações e contato próximo com outras pessoas;
  • Cubra o nariz e a boca com lenço descartável ao tossir ou espirrar (e descarte o material em local adequado);
  • Lave as mãos a cada duas horas e principalmente após passar por estabelecimentos ou transportes públicos;
  • Não toque olhos, nariz e boca;
  • Não compartilhe copos, toalhas e objetos de uso pessoal;
  • Dependendo do local, compre e use máscaras que cobrem boca e nariz, entre outras medidas.

 

Confira Panfleto do Ministério da Saúde

 

 

 

 

Assessoria de Comunicação

28/01/2020 14:04:34

Pin It on Pinterest