SINTECT-RS informa sobre paralisação do dia 14 de junho de 2019

Na assembleia do dia 16/01/2020 os trabalhadores deliberaram pela compensação do dia 14/06/2019, data em que a categoria participou da greve geral organizada pelas centrais sindicais contra a Reforma da Previdência. Também deliberaram que haverá a hipótese de desconto como lei de greve (sem incidências) para quem desejar não compensar as horas paradas.
Acontece que a paralisação do dia 14 de junho de 2019 resultou em uma liminar, garantida pela Assessoria Jurídica do SINTECT-RS, que não foi cumprida imediatamente pela ECT. Esta liminar obrigou a empresa devolver os valores descontados. No final do ano passado, em audiência na Justiça do Trabalho, a empresa formulou uma proposta de compensação, em princípio aceita pelo Juiz, razão pela qual foi realizada esta assembleia.
Sabemos que há casos de trabalhadores em que a ECT não devolveu o dinheiro daquele dia ou mesmo o vale-alimentação/refeição correspondente. Nesse caso, pedimos com urgência, no prazo de 05 dias, o envio de contracheque, nome e matrícula. Sendo que o desconto do dia se deu na folha de pagamento de julho e o seu ressarcimento se deu antecipadamente entre os dias 9 e 10 de agosto e constou da folha de agosto.
Vale ressaltar, que a paralisação do dia 14/06/2019 foi justa e de grande importância. Para melhor compreensão vejamos um exemplo do quão maléfica foram as mudanças na vida do trabalhador ocasionada pela reforma da previdência: o empregado público que encaminhar a sua aposentadoria depois do dia 13 de novembro de 2019 (vigência da nova Reforma da Previdência) terá que se desligar automaticamente de seu emprego. Ou seja, o aposentado não poderá manter-se no trabalho, embora deseje.
Segundo a imprensa, o Banco do Brasil e Petrobras já anunciaram que aplicarão a nova legislação desligando do trabalho todo e qualquer trabalhador que vier a encaminhar sua aposentaria já com a vigência das novas regras.

Assessoria de Comunicação

21/01/2020 13:27:56

Pin It on Pinterest