Reforma da Previdência obriga aposentado a se desligar da empresa

Reforma da Previdência obriga aposentado a se desligar da empresa

Os ataques do governo Bolsonaro aos trabalhadores, tanto da ativa como aposentados, parecem não ter fim. Recentemente, o Banco do Brasil e a Petrobrás anunciaram que todos os trabalhadores que pediram aposentadoria e tiveram o pedido concedido após a reforma da previdência terão seus contratos extintos. Uma medida que não demora a chegar no Correios.

Ou seja, a opção que o trabalhador tinha de se aposentar e continuar trabalhando, especialmente frente aos míseros salários pagos na aposentadoria, acabou. A emenda constitucional diz que “a aposentadoria concedida com a utilização de tempo de contribuição decorrente de cargo, emprego ou função pública acarretará o rompimento do vínculo que gerou o tempo de contribuição.”

De acordo com informações das estatais citadas aos seus empegados, todos que pediram aposentadoria a partir de 13 de novembro de 2019 poderão permanecer na empresa somente se cancelarem a solicitação junto ao INSS. Também só poderão ter o contrato de trabalho mantido se não tiverem recebido o benefício ou feito saque do FGTS ou do PIS.

A medida, que vem sendo apressadamente tomada pelas estatais, é mais um passo para privatizar rapidamente as empresas. No caso dos Correios, que já detém um número insuficiente de trabalhadores, acarretando precarização nas condições de trabalho enquanto sobrecarrega a todos com um volume desumano de serviços, esta situação irá piorar muito o que já está ruim.

Os sindicatos e centrais sindicais saíram às ruas durante meses para alertar quanto aos prejuízos para os trabalhadores com a reforma da previdência. Esta medida que vem sendo tomadas pelas estatais é um dos primeiros efeitos da reforma. Mas outros não tardarão a aparecer, já que, conforme alertado pelos sindicatos, a reforma praticamente acabou com o direito a aposentadoria.

Para resistir às medidas que ainda virão contra os trabalhadores, uma das principais estratégias é o fortalecimento dos sindicatos, que não por acaso são alvo do governo. Eles são as principais ferramentas de luta dos trabalhadores e os espaços fundamentais para organizar a classe trabalhadora e a resistência ao desmonte dos direitos. Sindicalize-se e fortaleça a luta dos trabalhadores.

Assessoria de Comunicação

19/01/2020 22:38:09

Pin It on Pinterest