CTO: ECT deu com os burros na água

É conhecido o dito popular que diz “deu com os burros na água”, o que significa “não conseguir levar avante um empreendimento”, “ser mal sucedido”, falhar no negócio”. Pois foi exatamente isso que ocorreu com a ECT em relação a sua intenção de acabar com o Centro de Transportes Operacional (CTO).

A Superintendência Regional/RS, através do GEDIS, encaminhou, em março, uma licitação de coletas e entregas de carga postal. O objetivo era claro: extinguir o setor, terceirizar e privatizar.

Na ocasião, o Sindicato encaminhou denúncia aos órgãos da Justiça do Trabalho, Ministério Público e outros.

Ou seja, gastou uma nota para fazer a licitação, em maio, e não conseguiu manter esse contrato. A transportadora que ganhou a licitação não tinha condições de atender a demanda e o CTO passou a atuar como um “tapa furo” da transportadora, que não tem caminhão nem motorista para todas as linhas.

Outros setores começaram a sentir o resultado da medida. As unidades de distribuição tiveram que mudar o horário da pegada, atrasando a saída para a rua dos objetos postais, expondo os carteiros a mais horas sob o sol. Algumas regiões começaram a trabalhar com o D+2, porque a carga chegava somente à tarde.

Quem acabava tendo que cobrir os problemas era o CTO e a empresa foi obrigada a chamar os trabalhadores concursados de novo para as funções.

O CTO possui profissionais motoristas, administrativos, mecânicos e outros. Tem caminhões com vida útil até 2023. E, mesmo assim, os responsáveis resolveram terceirizar tudo. Não podia dar certo, aliás, como avisaram os trabalhadores e o Sindicato, que se manifestou contra desde o início.

Alem disso, o Sindicato irá levar os novos fatos ao Ministério Público Federal, para dar consequências para que a empresa seja responsabilizada por estas falhas.

Assessoria de Comunicação

26/09/2019 23:38:40

Pin It on Pinterest