Correio não pode descontar salário dos grevistas

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) revogou a decisão do Correios de descontar dos trabalhadores os dias parados na greve que durou sete dias. A empresa comunicou o desconto dos dias de paralisação no dia 13.  

Mas, em liminar pedida pelas Federações, o TST entendeu que compete à Corte Superior, e não à empresa, resolver todas as questões relacionadas à greve, o que vai acontecer no próximo dia 2 de outubro, durante o julgamento do dissídio coletivo.

Para a Fentect, a medida da empresa caraterizou prática abusiva e antissindical que também será devidamente denunciada aos órgãos trabalhistas. A tentativa de perseguição e constrangimento dos trabalhadores que exerceram sua escolha legítima em defesa dos direitos econômicos e sociais não pode ser admitida. 

A Federação recorreu à justiça e garantiu em caráter liminar que a ECT não realize qualquer tipo de desconto nos salários ou benefícios dos trabalhadores que aderiram à greve até dia 02 de outubro.

Enquanto aguarda o julgamento do dissídio, a categoria deve permanecer mobilizada, com realização de reuniões setoriais, atos nos estados, coleta de assinaturas para o abaixo-assinado contra a privatização, audiências públicas e debates com a sociedade para conscientização sobre a importância de manter o caráter público da ECT e modernizá-la para que preste serviços de qualidade ao povo brasileiro.

Assessoria de Comunicação

22/09/2019 20:50:37

Pin It on Pinterest