Agência Central, um forno nada alegre

Acredite se quiser, mas a Agência Central de Porto Alegre vem funcionando sem ar-condicionado desde o início do verão, apesar do calor abrasivo e úmido, condizente com um “Forno Alegre”.

A situação é um atentado contra o ambiente de trabalho, a saúde dos trabalhadores e um descaso com os clientes.

Um problema estrutural, que torna o tal de “modelo de negócios” uma expressão vazia. E, o pior, é que as metas, as vendas, são exigidas da mesma forma. Só que sem ar, não vai dar para bater a meta. Pois, o “foco no cliente” anda meio embaçado, de tanto suor que corre no rosto dos atendentes. Além do descontentamento dos clientes que improvisam leques para terem um mínimo de ar. Ou seja, um convite para perder o cliente.

 

A falta de manutenção e conserto do ar condicionado vem de longa data. É parte do sucateamento da ECT, que aposta no “quanto pior, melhor” para entregar tudo para a iniciativa privada. Um desserviço aos trabalhadores, aos clientes, à sociedade e a Nação.

Assessoria de Comunicação

16/01/2019 14:35:29

Pin It on Pinterest