SINTECT-RS publica edital e dá início ao processo eleitoral do Sindicato

A publicação de edital no jornal Zero Hora, no dia 26 de dezembro, deu início ao processo eleitoral que irá definir quem estará na direção do SINTECT-RS no período 2019/2022 (veja aqui). De acordo com o edital, as eleições ocorrerão nos dias 25, 26 e 27 de fevereiro de 2019. O prazo para registro das chapas é de 30 dias a contar da publicação do edital (26/12/2018), das 9h às 12h e das 13h30 às 17h, no Sindicato (Rua Buarque de Macedo, 352), em Porto Alegre.

Para que todos possam participar do pleito, o Sindicato estará disponibilizando 27 urnas e a junta eleitoral a ser escolhida também poderá indicar outras formas de votação, como por correspondência, para garantir que todos os sindicalizados possam manifestar sua vontade.

Majoritariedade

Esta será a primeira eleição depois de aprovada, em assembleia realizada no dia 17 de março de 2018, a troca do sistema eleitoral de proporcionalidade para majoritariedade. A mudança estatutária e de regime eleitoral foi aprovada depois de debatida em sete seminários regionais organizados na seis subsedes e um em Porto Alegre.

Até a última eleição, o sistema que valia era o da proporcionalidade, ou seja, todas as chapas indicavam nomes de acordo com a proporção de votos que obtiveram nas eleições. Agora, pelo novo regime, da majoritariedade, significa que a chapa que vencer as eleições indicará, todos os nomes para as pastas e conselhos.

Importância da participação

A participação dos trabalhadores nesta eleição é fundamental, não só para garantir o quórum que valide a eleição, mas, principalmente, para evidenciar o envolvimento efetivo da categoria no processo.  Vivemos um momento de ataques aos direitos e conquistas dos ecetistas e do conjunto da classe trabalhadora e, para o próximo ano, a sinalização é de um desmonte ainda maior da empresa e de mais ataques.

Há também a tentativa do governo de fragilizar cada vez mais os sindicatos, principal ferramenta de luta dos trabalhadores, com intuito de enfraquecer a resistência e a capacidade de mobilização, ficando mais fácil ao governo e aos gestores retirem direitos e privatizarem a empresa.

Assim, além da sindicalização, a participação neste momento eleitoral, que definirá quem estará à frente do Sindicato no próximo período, representa uma oportunidade concreta de mostrar que queremos um sindicato forte, representativo e com capacidade de conduzir as lutas necessárias na defesa dos interesses dos trabalhadores.

Assessoria de Comunicação

26/12/2018 13:03:53

Pin It on Pinterest