Problemas no atendimento escancara descaso com a saúde dos trabalhadores

Não é de admirar que durante a negociação, o principal entrave tenha ocorrido no item que tratava da assistência médica, um tema que vem penalizando há anos os trabalhadores e cada vez mais tratado com descaso pela empresa.

Na negociação, a empresa no máximo, informou que uma comissão paritária apresentará em 180 dias, estudos atuariais e de custeio e depois de muita pressão, que no RS incluiu a rejeição da proposta e uma greve, acresceu no acordo o parágrafo 10 na cláusula que trata da assistência médica/hospitalar/odontológica, que retira o poder da “Comissão Paritária” e o devolve às assembleias dos sindicatos.

Como se já não bastassem todos os problemas, que incluem descredenciamento, cobranças indevidas, falta de atendimento, agora, a ECT informou que a empresa Nexus, responsável pela operacionalização do Exame Periódico, deu calote no Correios e suspendeu unilateralmente os atendimentos. Com isso, todo o processo dos exames periódicos está suspenso, inclusive os já agendados e o prazo para os exames de periódicos foi prorrogado para março de 2017.

A própria empresa reconhece que os exames preventivos ajudam a prevenir problemas de saúde relacionadas as atividades profissionais e são essenciais para que os trabalhadores realizem suas funções de forma saudável. Especialmente frente ao alto número de adoecimentos no Correios, esta questão deveria ser tratada como prioridade, mas não é o que estamos vendo.

O que esperamos é que esta questão seja tratada com seriedade pela empresa e que os exames periódicos sejam retomados o mais breve possível. Se para a ECT saúde não é prioridade, para os trabalhadores ela é fundamental e uma condição para que possam desenvolver suas funções com dignidade.

Assessoria de Comunicação

22/09/2016 16:08:23

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest