Já vai tarde!

O presidente do Correios, Guilherme Campos Júnior, nomeado pelo governo ilegítimo do Temer em 2016, foi exonerado do cargo no último dia 5 de abril.

Desde que assumiu, Guilherme Campos implantou o terror, sucateou a empresa e ameaçou constantemente os direitos dos trabalhadores, inclusive o Plano de Saúde.

Foi uma gestão desastrosa que agravou ainda mais a situação da empresa do ponto de vista das sucessivas gestões irresponsáveis e que só usaram a empresa politicamente.

Sob o discurso da crise, Campos assumiu ameaçando com atraso e parcelamento dos salários, seguiu com negociações onde a empresa tentou mais de uma vez retirar direitos e fechou com chave de ouro sua desastrosa e irresponsável gestão penalizando os trabalhadores com alterações significativas no Plano de Saúde.

Não satisfeito, ainda implantou programas de demissão, sacrificando os trabalhadores, e sistemas de gestão que tem penalizado a população e comprometido a prestação de serviços dos Correios, tudo com objetivo de preparar a empresa para a privatização. Ou seja, foi nomeado por Temer, ganhando um alto salário da empresa para exatamente acabar com o Correios.

Foi mais um carreirista político, que usou a empresa em seu benefício e dos seus “amigos”, como o recente patrocínio a um time de squash, de um amigo seu.

Por essas e outras mais, que para os trabalhadores, Guilherme Campos já vai tarde! E é bom que a categoria não esqueça este nome, já que ele saiu da direção da empresa para tentar se reeleger deputado federal pelo PSD.

O novo presidente indicado será Carlos Fortner, atual diretor dos Correios.

A expectativa dos trabalhadores é que o novo presidente respeite os trabalhadores, que cumpra o que está estabelecido no Acordo Coletivo e que de fato estabeleça uma política de valorização e de reconhecimento à contribuição dos trabalhadores para construir a grande empresa que o Correios é hoje, apesar dos seus gestores.

Assessoria de Comunicação

06/04/2018 15:19:58

X

Pin It on Pinterest

X
Share This