Greve: caminhada e reunião do Comando de Greve

O segundo dia de greve (22) foi marcado pela disposição dos trabalhadores de manter forte o movimento paredista. Em Porto Alegre, após reunir nas primeiras horas da manhã em frente aos locais de trabalho, foi feita uma concentração no Centro, em frente ao prédio Sede. De lá os trabalhadores saíram em caminhadas por algumas ruas do centro, e realizaram um ato na esquina Democrática de Porto Alegre.

Relatos vindos do interior também deram conta de que a greve está forte, com a adesão cada vez maior dos trabalhadores. E na Sertório, em Porto Alegre, continua mantido o Piquete em frente ao Centro de Distribuição, com presença permanente dos trabalhadores.

Reunião do Comando

Na parte da tarde foi feita uma reunião do Comando de greve, na sede do Sindicato. Durante o encontro foi feita uma avaliação da greve em todo o Estado, definido o rito da assembleia da segunda, dia 25, que será na sede do Sindicato e o fortalecimento das mobilizações.

Mobilizações no Brasil

Em nível de Brasil, a greve também esta forte e cresce. No dia 22, mais um estado – o Acre – entrou em greve. Já são 30 sindicatos filiados participando dessa mobilização que promete ser histórica para a estatal e ainda deverá haver adesão de Rondônia e Roraima. Diversas atividades estão em andamento por todo o País, para que todos os empregados entendam a importância de se unirem ao restante da categoria e para que a população saiba dos riscos da queda da qualidade dos Correios e de uma possível privatização.

Mesmo com o dissídio da ECT no Tribunal Superior do Trabalho (TST), o comando de negociação está em Brasília buscando soluções e reafirmando a disposição da categoria de negociar. Em Brasília, no dia 22, os trabalhadores em greve se uniram em um ato para cobrar do ministro das Comunicações, Gilberto Kassab, uma negociação digna e respeitosa ao Acordo Coletivo de Trabalho 2017/2018.

Fortalecer ainda mais a greve

O SINTECT-RS reforça que é fundamental fortalecer ainda mais a greve com a adesão de todos os trabalhadores. Não estamos lutando somente por salários, mas pela defesa dos nossos direitos e dos nossos empregos, já que o desmonte que vem sendo promovido, com os planos de demissão, e a privatização da empresa, representa a demissão de milhares de trabalhadores.

Também temos que buscar o apoio da população, denunciando que o desmonte feito pela gestão da empresa, com o fechamento de unidades, prejudica a sociedade, que não terá mais os serviços dos Correios e que hoje, em muitos casos, são obrigados a buscar suas correspondências nas unidades dos Correios.

Também denunciar o uso político da empresa, que investe em cargos de indicações políticas, cabides de emprego, altos salários para pessoas desabilitadas a administrarem a estatal, além de gastos com outras situações nas quais poderia economizar em nome dos números dos Correios, como patrocínios, viagens para vice-presidentes, consultorias etc.

Reunião do comando de greve do RS

Na sexta (22) também foi realizada a reunião do Comando de Greve do RS, onde foi feita uma avaliação do movimento e definidos alguns encaminhamentos. Entre eles estão:

– fortalecer a participação na assembleia de segunda, dia 25, às 15h, na sede do Sindicato;

– buscar o diálogo com professores, que também estão greve, para definir ações conjuntas;

– chamar as bases de RJ e SP a entrarem em greve, apesar da postura das suas direções, tendo em vista que a proposta construída pela Findect não contempla a necessidade dos ecetistas;

TODOS À GREVE. NOSSOS DIREITOS FICAM. GUILHERME CAMPOS SAI!

Assessoria de Comunicação

22/09/2017 21:08:27

X

Pin It on Pinterest

X
Share This