Ataques da ECT e do governo federal unem categoria ecetista na luta contra as retiradas de direitos

A FENTECT realizou na quarta-feira (7), em Brasília, o XXII Conselho de Representantes Sindicais (Consin), com sindicalistas de todas as entidades filiadas à federação. O evento foi organizado em caráter de urgência devido aos ataques disparados pela ECT contra a categoria, só no mês de janeiro, fora os demais problemas que vinham atingindo os trabalhadores. Ainda ontem (6), o Tribunal Superior do Trabalho (TST) adiou o julgamento do plano de saúde dos ecetistas, mais uma oportunidade para as representações traçarem novas estratégias na defesa do benefício.

Segundo o advogado Alexandre Lindoso, os dados econômicos e financeiros da Postal Saúde, anteriormente fornecidos à equipe técnica do TST, foram solicitados para tentar construir, com base nos números, melhores alternativas para a realidade dos trabalhadores. “Números esses vitaminados para produzir uma situação muito pior e induzir o Judiciário ao erro”, explicou. Ele ainda avisou sobre a possibilidade de nova tentativa de conciliação do processo.

No Consin, os representantes sugeriram, entre os eixos, que a ação de julgamento seja extinta do TST; greve nacional na véspera o julgamento, por tempo indeterminado, e estado de greve a ser votado nas assembleias dos sindicatos das próximas semanas.

Os diretores da FENTECT, na oportunidade, contaram aos representantes o resultado da última reunião com o presidente Guilherme Campos. Ficou claro que a ECT opera um processo de desmonte nos Correios, que tem sido intensificado nas últimas ações da empresa. A questão dos descontos nos tíquetes, por exemplo, até agora não foi oficializada e, desde o início da arbitrariedade, o ato demonstra a tentativa da ECT de desmobilizar os trabalhadores para o que viria, como o julgamento do plano no tribunal, marcado por um erro já esclarecido pela assessoria jurídica da federação.

Não às reformas da ECT
Não passará impune, também, a extinção do cargo de OTT. Os advogados da FENTECT vão analisar com cuidado as informações, para que nenhum trabalhador fique desamparado por essa retirada. Além disso, nota-se a tentativa da ECT de rebaixar a categoria, já aproveitando a reforma trabalhista, sugerindo a redução da jornada com a redução de salários, a princípio, para os administrativos. Na visão dos representantes, no entanto, esses ecetistas poderão ser facilmente pressionados no futuro pela aceitação da reforma nos cargos. Tudo isso ainda abre precedentes para a terceirização das demais áreas operacionais dos Correios.

Outro ponto de debate foi a votação da reforma da Previdência, que foi novamente adiada no Congresso Nacional. A discussão ficou por conta da adesão às mobilizações nacionais e a possibilidade de uma greve geral para unir forças as demais categorias do País e, dessa maneira, tentar barrar mais um golpe à população brasileira.

Apoio e cooperação
Sobre o imposto sindical, o advogado da FENTECT foi enfático ao analisar a reforma trabalhista como vilã também para o recurso, já que a mesma “foi construída pelo capital e unicamente com interesse do capital, para diminuir direitos da classe trabalhadora.” Entretanto, explicou que, caso haja uma norma coletiva constando uma cláusula com aprovação da categoria para o desconto, não haverá problemas para o custeio. Portanto, é imprescindível que os sindicatos façam assembleias pela deliberação do tema.

Vários representantes também sugeriram dar continuidade às campanhas de divulgação da dilapidação do patrimônio brasileiro, que tem sido promovida pela direção dos Correios, com pedido de apoio de todas as comunidades, para salvar a estatal em todo o país. Demais eixos e datas importantes de luta serão brevemente divulgadas pela federação a todos os sindicatos filiados.

O XXII Consin da FENTECT encerrou com a certeza da importância da luta e de mobilizações intensas pelas causas que atingem toda a categoria. A assessoria jurídica da federação está analisando todos os casos e ações necessárias. A partir de agora, é lutar ou lutar. Todos os trabalhadores de base são chamados a fazer parte do movimento e não deixar a terceirização e a privatização destruírem os Correios do Brasil

Fonte: Fentect

X

Pin It on Pinterest

X
Share This