Trabalhadores deliberam por greve e chamam trabalhadores à unidade

Em assembleia realizada na noite do dia 19, em Porto Alegre e nas subsedes, os trabalhadores dos Correios do RS deliberaram pela greve a partir da zero hora do dia 21 de setembro. A alteração no calendário sugerido pela FENTECT das 22 horas do dia 19 se deu em razão de que no Estado o dia 20 é feriado.  A greve, definida por uma assembleia lotada, é por tempo indeterminado e foi definida por ampla maioria.

Durante as falas na assembleia, ficou clara a indignação dos trabalhadores com a postura e a proposta apresentada pela empresa que não faz qualquer menção a questão financeira, retira e rebaixa um grande número de direitos conquistados ao longo de décadas.

Num primeiro momento, os dirigentes do Sindicato fizeram um relato das ações da entidade para levar aos trabalhadores o maior número de informações em relação a negociação. Também foi buscado fazer o debate com os trabalhadores, esclarecendo a importância da unidade de todos como principal forma de manter os direitos ameaçados pela empresa. Foram feitas reuniões nos locais de trabalho, distribuição de material informativo impresso e eletrônico e as últimas assembleias também foram realizadas na parte da manhã, possibilitando aos trabalhadores do turno da Sertório que pudessem participar e debater a campanha salarial.

Em relação ao diálogo com a sociedade, estão sendo veiculadas chamadas na Rádio Guaíba para esclarecer a população sobre o movimento da categoria e também está sendo distribuído uma edição do Jornal JÁ (www.jornalja.com.br) com matéria especial sobre a situação dos trabalhadores dos Correios.

O Sindicato também aproveitou o lançamento e as reuniões da Frente Parlamentar em Defesa dos Correios, instalada na Assembleia Legislativa, para denunciar a situação dos trabalhadores e o desmonte da empresa, assim como a redução dos efetivos.

Os dirigentes destacaram a importância de entender a dinâmica política atual para analisar a negociação, com medidas que estão sendo impostas a toda a classe trabalhadora. Para os sindicalistas, a empresa tenta a todo custo, apagar as conquistas históricas dos ecetistas, uma das maiores categorias do país e uma das que fez as maiores greves, até como exemplo para outras categorias. “A única alternativa é a unidade. Sem unidade fica mais fácil para quem quer atacar nossos direitos, quem quer fazer a divisão dentro dos sindicatos e desconstituir o calendário nacional de negociação”, destacou o Secretário-Geral, Yuri Aguiar.

Lembraram que a empresa desde o dia 27 de julho conhece a pauta da categoria, mas tem agido com intransigência e tentam empurrar a negociação, apostando na entrada em vigor da Reforma Trabalhista para retirar direitos e sufocar os trabalhadores.

A deflagração da greve foi uma resposta da categoria aos Correios e um movimento contra o dechamento de agências, que prejudica os trabalhadores e a população;  as ameaças de demissão motivada; corte em investimentos, incluindo novos concursos públicos; a suspensão das férias dos trabalhadores; retirada de vigilantes das agências, interferências e o sucateamento no plano de saúde da categoria, entre outras retiradas que já estão sendo promovidas. 
Agenda de atividades

Depois de debater amplamente a campanha salarial, os trabalhadores aprovaram a greve por tempo indeterminado e construíram uma agenda de atividades para os próximos dias.

Quarta-feira, dia 20

montagem do Piquete na Sertório. Todos estão convidados a participar.

Quinta-feira, dia 21

0h –  Início da greve

8h – concentração em frente aos locais de trabalho para convencimento dos trabalhadores e depois concentração na Sertório.

Sexta-feira, dia 22

8h – concentração em frente às unidades e depois concentração no Centro, em frente ao prédio Sede, com caminhada e distribuição de carta aberta à população.

15h – reunião do Comando de Greve (local a confirmar)

Segunda-feira, dia 25

15h – Assembleia de avaliação às 15 horas – informaremos o local

18h30 – Reunião na Assembleia Legislativa da Frente Parlamentar em Defesa dos Correios.

O Sindicato disponibilizará ônibus que passará nos locais de trabalho para conduzir os trabalhadores aos locais de concentração geral.

A greve no país

Durante a assembleia a mesa foi informando o resultados das assembleias no país, que estavam decidindo pela greve apartir das 22 horas do dia 19 de setembro. A maioria dos sindicatos estava aprovando a greve por tempo indeterminado.
Dos 31 sindicatos filiados à FENTECT, além do Rio Grande do Sul, incluindo Santa Maria, aderiram à greve os estados de Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Distrito Federal, São Paulo (Campinas, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Vale do Paraíba e Santos), Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais (MG, Juiz de Fora e Uberaba), Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe e Santa Catarina.  Apenas Acre, Rondônia e Roraima não haviam confirmado.

GALERIA DE FOTOS

Assessoria de Comunicação

20/09/2017 21:23:13

X

Pin It on Pinterest

X
Share This